Postagens

Ser umbandista de coração

Imagem
Muitas pessoas se dizem umbandistas, batem no peito, orgulhosamente dizendo a si mesmo que a Umbanda é a religião que toca e comanda seu coração. Mas ai que está o porém e a pergunta: o que é ser umbandista?Uma das primeiras coisas que devemos entender é que nunca devemos ter vergonha em demonstrar, não só a nós mesmos, mas a todos nossos semelhantes que amamos incondicionalmente essa religião tão maravilhosa, tão bela, mas tão mal compreendida.É inaceitável que um umbandista tenha vergonha de expressar seu amor pela religião, ou que tenha vergonha de ser identificado como um irmão de terreiro. Nós umbandistas de coração devemos nos dar acima de tudo a caridade de um trabalho espiritual.Devemos saber e entender que uma casa, um terreiro, um centro de Umbanda é um local espiritual, e devemos entender que esses locais representam a bela UmbandaDevemos crer que temos que respeitar para sermos respeitados, ouvir para que sejamos ouvidos, é sabermos amar para que sejamos amados, e principa…

Sou médium numa casa: posso visitar outros terreiros?

Imagem
Visitar outros Terreiros é uma questão importante na Umbanda. Mas antes de começar a responder esta questão, vamos olhar para o sentido da palavra e para nossa vida cotidiana. O que é visita? Visita no Dicionário Aurélio é “Ato de ir a algum lugar (com alguém ou não) para apreciar algo ou alguém”.Assim, é uma questão que aflige alguns Terreiros. Pois todos nós (ou a maioria de nós) gostamos de receber ou fazer visitas. Nesse sentido, visitamos lugares novos, casa de amigos, parentes etc. Posto que a visita pode ser: rara, contínua, de tempos em tempos, de surpresa, combinada, demorada, longa, etc. Não importa!Visita tem em si um caráter positivo que é “matar saudades”, “reencontrar algo ou alguém”, “colocar o papo em dia”, “recordar um fato ou paisagem” etc. Assim, na religião, em especial na religião de Umbanda é sabido que cada Casa tem:– Sua doutrina;
– Seus costumes;
– Seus ritos;
– Suas regras;
– Seus fundamentos;
– Seus valores;
Então, conversando com outros dirigentes de Terreiro, pu…

Caminheiros festejam 49 anos, em encontro virtual

Imagem
Uma viagem no tempo. Encontros e reencontros. Demonstrações de amor, fé e gratidão pela existência dos Centro Espírita Caminheiros de Santo Antônio de Pádua. Uma celebração singela nos 49 anos dessa casa umbandista, fundada em 10 de agosto de 1971. Hoje, seguimos fiel aos ensinamentos da fundadora, Antônia Lins, e, sobretudo, do seu mentor, Ogum da Floresta.Na prece feita pela dirigente espiritual, Creusa Braga, rogamos juntos, apesar das distâncias, por todos que perderam seus entes queridos. Rogamos a Zambi que essa tormenta que paira sobre o mundo seja dissipada e, muito em breve, possamos voltar a pisar no chão sagrado dos Caminheiros de Antônio de Pádua.A comemoração foi por meio virtual e contou com a maioria dos médiuns e com a presença de irmãos que se iniciaram na casa e hoje seguem outros caminhos, levando na sua bagagem de vida e de fé os ensinamentos dos Caminheiros.Assistam ao vídeo: Caminheiros, 49 anos
Edição do vídeo: Sumara Canzi e Daniela Falcão

Caminheiros celebram 49 anos de fundação. Junte-se a nós

Imagem
Hoje é um dia muito especial para os Caminheiros de Santo Antônio de Pádua.  A casa completa 49 anos de fundação. Uma trajetória de muita luta, fé em Zambi, nos orixás e na Espiritualidade Maior, que sempre renovaram as energias e a força de Antônia Lins, determinada a cumpri a missão que lhe fora dada: construir uma casa de umbanda, nos moldes dos Caminheiros da Verdade, situado no Rio de Janeiro, onde ela começou seu desenvolvimento mediúnico. À frente desse desafio, ela deu uma demonstração ímpar de amor à Umbanda e a todas as divindades e entidades espirituais que essa prática religiosa agrega. Ao lado dela, a sua filha e atual dirigente do centro, Creusa Lins A. Braga, que vem liderando, de forma singular, a preservação desse inestimável legado.Para todos os caminheiros que a seguiram e que chegaram à a casa, Antônia Lins e seu mentor espiritual, senhor Ogum da Floresta, são figuras icônicas na história do centro. Apesar do regresso de dona Antônia ao mundo espiritual, em 21 de ag…

Nanã Buruque: a senhora da transformação e do tempo

Imagem
O dia de Nanã Buruque é comemorado em 26 de julho pela Umbanda. No mesmo dia, comemora-se, na Igreja Católica, o dia de Santa Ana, padroeira dos avós. Não se trata de uma mera coincidência. As duas personalidades estão intimamente ligadas, apesar de terem sentido e significados distintos dentro de cada uma dessas religiões. Por isso, conheça agora a história de Nanã Buruque.
O mês de julho é ligado a Nanã, a Senhora dos mortos, a senhora da transformação, sendo assim segue abaixo um texto muito interessante sobre a morte:
Nós estamos acostumados a ligar a palavra morte apenas há ausência de vida e isso é um erro. Existem outros tipos de morte e precisamos morrer todo dia. A morte nada mais é do que uma passagem, uma transformação.Não existe planta sem a morte da semente, nem do embrião sem a morte do óvulo e do esperma, não existe borboleta sem a morte da lagarta. A morte nada mais é do que o ponto de partida para algo novo. A fronteira entre o passado e o futuro. Se você quer ser um bom…

Caminheiros homenageiam seu padroeiro com prece

Imagem
Os bancos estavam vazios. Mas a casa plena de boas energias. Hoje (14/6) foi dia fazer uma prece especial de agradecimento ao padroeiro do centro, Santo Antônio de Pádua. Às 19h, a prece foi iniciada pela dirigente espiritual do Centro Espírita Caminheiros de Santo Antônio de Pádua, Creusa Braga.
Ao iniciar a prece, a dirigente agradeceu a Zambi, a Santo Antônio e a todos irmãos espirituais que nos têm dado força para atravessar esse momento que o nosso país e o mundo atravessa, choram pelos que desencarnaram e festejam pelos que sobreviveram ao ataque da peste.

As cerimônias nos Caminheiros são sempre simples, mas regadas de muita fé. Neste domingo, não foi diferente. Pouquíssimos médiuns foram à cerimônia em homenagem ao padroeiro da casa. Não é que não quisessem estar lá, mas a epidemia do novo coronavírus impediu que a maioria lá estivesse.

Como casa umbandista, os Caminheiros lidam com forças invisíveis aos olhos dos comuns, ou seja as entidades espirituais. Mas sentimos a prese…

Todos juntos, mesmo distantes

Imagem
Desde 16 de março último, os Caminheiros estão longe de amigos, amigas e frequentadores. Não porque desejassem. A crise epidemiológica do novo coronavírus impôs o isolamento social. A legislação — medidas provisórias e decretos — criada para essa batalha determinou o fechamento de vários setores da cidade, inclusive das portas de entidades religiosas. 


Mas logo nos encontraremos. Até lá, podemos estar juntos mesmo distantes. Como é possível? A Comissão de Doutrina selecionou uma série  de belos textos para ler aos amigos, amigas e frequentadores — Momento de Luz. Eles estão publicados no YouTube. Para facilitar o acesso, trazemos abaixo os links desses vídeos. Assim, você aprenderá o caminho e todos os dias poderá ouvir cada um deles e as novas edições que estão sendo preparadas. Em breve, as mensagens estarão em podcast. Tão logo estejam disponíveis, avisaremos a você.


MOMENTO DE LUZ

Vídeo 1: Vinha de Luz  — Quem lê, atenda

Vídeo 2: Vinha de Luz  — Silêncio

Vídeo 3:  Livro da Esperança 01…