Caminheiros apóiam iniciativa contra intolerância religiosa

O Centro Espírita Caminheiros de Santo Antônio de Pádua enviou, sábado (dia 7), carta à procuradora regional dos Direito do Cidadão, Adriana da Silva Fernandes, por sua iniciativa de ingressar na justiça contra as emissoras de televisão Record e Gazeta por seus ataques às religiões de matriz africana.
Na carta, os Caminheiros elogiam a atitude da procuradora contra a intolerância religiosa, que avança sobre os centros espíritas de Umbanda e Candomblé. Ressaltam que enquanto Constituição brasileira assegura o direito e a liberdade de culto e crença no Brasil, as religiões de matriz africana são agredidas, desrespeitadas pelos evangélicos.
Abaixo, a íntegra da carta dos Caminheiros de Santo Antônio à procuradora Adriana Fernandes:

À Doutora Adriana da Silva Fernandes,
Procuradora Regional dos Direitos do Cidadão

Por meio dos veículos de comunicação, tomamos conhecimento da sua iniciativa contra as emissoras de televisão Record e Gazeta que se utilizam do poder que lhes foi concedido pelo Estado para agredir as religiões de matriz africana.
Queremos louvar a sua corajosa iniciativa e iremos rogar a Deus em nossas preces que seu trabalho seja coroado de êxito, pela sua enorme importância em defesa da pluralidade religiosa e cultural do nosso país.
Embora o Brasil seja um estado laico, como preconiza a Constituição de 1988, em que todas as expressões e manifestações religiosas devem ser respeitadas, também enfrentamos a reação virulenta dos evangélicos, em plena capital da República. Lamentamos que a investida truculenta e preconceituosa dos evangélicos mortifique, a cada dia, os ditames constitucionais.
Acompanhamos, de perto, todo o noticiário sobre a intolerância religiosa que avança em nosso país. Tememos, como cidadãos e espíritas, que as concepções fundamentalistas estabeleçam um estado de cizânia entre as pessoas e reproduzam, aqui, os lamentáveis cenários de conflitos religiosos existentes no Exterior.
Em Brasília, pertencemos ao Centro Espírita Caminheiros de Santo Antônio de Pádua, criado há 38 anos. Praticamos a Umbanda e adotamos a doutrina kardecista como orientadora das nossas atividades, com marcante viés social. A nossa sede, instalada em uma área carente do Distrito Federal é, com freqüência, alvo das manifestações de intolerância religiosa. Insistimos, mesmo sabendo que é vão, em recorrer às autoridades policiais, no sentido de garantir o respeito ao nosso espaço.
Assim, esperamos que a atitude de Vossa Senhoria junto ao Judiciário sirva de exemplo às autoridades do nosso país, a fim de dar concretude às leis e restabelecer o respeito que é devido às religiões de matriz africana, bem como a qualquer outra manifestação religiosa. Que prevaleça o estado laico, a nossa pluralidade cultural e diversidade de cultos e religiões. Que as diferentes expressões de fé sejam um instrumento para a construção de uma cultura de paz e não elementos de agravamento dos cenários de violência e intranqüilidade em nosso país.
Aceite, senhora procuradora, o sincero e fraterno abraço dos Caminheiros de Santo Antônio de Pádua

Rosane Garcia
assessora de comunicação dos
Caminheiros de Santo Antônio de Pádua

Comentários

Caminheiros disse…
Parabéns pelo texto.
Devemos realmente enaltecer atos como o da Ilma Procuradora.
Maravilhosa semana!
Fernando Figueiredo
creusa braga disse…
A Comunidade umbandista e candobblecis precisa se unir na defesa das suas convicções, através de atitudes efetivas para combater esses falsos religiosos que usam o sofrimento das pessoas para enganá-las e roubá-las. Contudo,para que esta luta mereça respeito há de se cortar na própria carne expurgando aqueles templos que igualmente exploram os seus seguidores.

Postagens mais visitadas