Arte e acolhimento

A instrutora Sumara Canzi (E) diante de Maria Luíza e sua mãe: estreia da oficina da origami oferecida pela Ascap


DEPOIS DO SUCESSO do curso de Excelência no Atendimento ao Cliente, no sábado (9/6), começou a oficina de origami, ministrado pela artesã e estudante de direito, Sumara Canzi, todos os sábados, das 14h às 15h, na sede da Ação Social Caminheiros de Antônio de Pádua. A arte de dobrar o papel e transformá-lo em objetos exige técnica e criatividade. A jovem Maria Luiza, acompanhada da mãe, aproveitou a primeira aula para fazer uma borboleta e saiu feliz com o resultado do trabalho, elogiado por quem estava na Ascap, em outras atividades. A Ascap é braço social do Centro Espírita Caminheiros de Santo Antônio de Pádua, fundado há 46 anos.

Indagada se havia gostado da estreia da oficina, Maria Luiza, com poucas palavras, disse que sim. A mãe demonstrou interesse em fazer outras atividades promovidas pela Ascap, entre elas a futura oficina de empreendedorismo sustentável. A intenção da instituição é oferecer ferramentas que permitam às pessoas exercerem uma atividade que leve ao aumento da renda familiar e, assim, melhorar as condições de vida. Para crianças e jovens, a ideia é permitir a desabrochar de suas habilidades e sejam mais felizes, sem perder a pureza própria dos pequeninos ou daqueles que estão em formação.

Ainda há vagas para os cursos/oficinas: mandala em papel; alfabetização de jovens e adultos; produção de eventos; artes cênicas; produção de velas com gel; produção de bonecos com tampas de PET; edição de vídeo; oficina de crônica (como elaborar bons textos); oficina de tapeçaria em tear. As inscrições podem ser feitas na sede da Ascap, às terças e às quintas-feiras, sempre das 15h às 18h., ou pelo e-mail: ascap.cecsap@gmail.com  ou pelo telefone:98484-3296 (Sandra). Os cursos/oficinas são gratuitos — eventualmente, os interessados tenham que levar o próprio material para as atividades artesanais.

As aulas de alfabetização terão início na primeira semana de julho. Elas ocorrerão nas segundas, terças e quintas-feiras, das 19h às 20h. A aula inaugural será em 2 de julho. No próximo mês começarão também as oficinas de produção de velas com gel, bonecos com tampas de PET; tapeçaria em tear, que ocorrerão uma vez por semana. Em breve será divulgado o calendário e horário das atividades.

Cultura de paz
A parceria entre a Ascap e o Comitê Nacional de Vítimas de Violência (Convive) permitiu a oferta de mais serviços à comunidade. Hoje, estão disponíveis às pessoas atendimento de assistência social e também psicológico, por meio de profissionais qualificados. Em pouco mais de um mês de trabalho, a demanda tem sido crescente a cada semana. A proposta objetiva ajudar as pessoas vítimas, ou não de violência, mas também colaborar para que sejam artífices da construção de uma cultura de paz, em uma região do Distrito Federal, onde os índices de violência são bastante altos.

De acordo com a formanda em psicologia Kleytiane Silva, estudante do Iesb, que tem recepcionado as pessoas, depressão por desemprego, conflito familiar, violência sexual, crise de bipolaridade, que exige acompanhamento psiquiátrico estão entre os problemas que têm afligido os que procuram ajuda. Segundo ela, dois dias de atendimento estão insuficientes diante a procura por ajuda. O feedback tem sido muito positivo. Daí a necessidade de garantir mais dias para receber a todos que procuram a Ascap/Convive.

Kleytiane explicou que ouvir as pessoas tem ajudado a várias delas. “O simples fato de falarem de suas aflições e receberem atenção, isso tem melhorado muito aquelas que têm nos procurado. A evolução é facilmente notada.” Segundo, ela é preciso tempo para ouvir as pessoas. “Não vamos resolver o problema delas, mas podemos oferecer ferramentas para que possam caminhar sozinhas”, completa. Ela comemorou a informação que, em muito breve, as duas instituições contarão com o serviço de psicólogo formado, o que permitirá o acolhimento de mais pessoas.

ÁLBUM DA OFICINA DE ORIGAMI

Comentários

Postagens mais visitadas