FELIZ NATAL! FELIZ ANO NOVO!

As festas de fim de ano, Natal e Ano Novo, mexem com mentes e corações. As pessoas se tornam mais afáveis. Usam suas economias e renda extra para presentear os familiares, os amigos mais chegados e são tomadas por um espírito caritativo e solidário que, lamentavelmente, nem sempre faz parte do ciclo de 365 dias.

 Embora a Umbanda não seja uma religião cristã, seus adeptos são contagiados por esse clima festivo. O Natal e o Ano Novo são comemorados como os cristãos, sem um rito genuíno próprio das práticas afro-religiosas. É muito simples entender esse comportamento, pois a maioria dos umbandistas são pessoas que migraram de outras religiões, nas quais se celebra o nascimento de Jesus, que, há 2017 anos, é venerado e seus ensinamentos permeiam a maiorias das confissões fé existentes no planeta.

E não só isso: a Umbanda é a mais acolhedora e tolerante prática religiosa. Não discrimina nenhum credo. Ao contrário. Respeita todas as formas de diálogo com o sagrado, até mesmo daqueles que a agridem e a associam ao demônio, às bruxarias, à magia negra e outras analogias que, em hipótese alguma, fazem parte do seu ritual e prática.

 Na Umbanda, Deus ou Zambi é a força suprema que rege todo o universo e as vidas que ele abriga. É único e indivisível. Compreende que todos os seres são minúsculas partículas de Deus e que resistem a tempo e ao espaço por ser Ele fonte de toda a generosidade e amor. Assim, a Umbanda tem as portas sempre abertas para oferecer um lenitivo a quem quer seja, não importando a fé que pessoa pratica.

Hoje, o sincretismo perdeu o sentido. Não precisamos mais das estratégias de nossos ancestrais para cultuar os orixás, as divindades e falanges na Umbanda. Mas o passado caminha com o presente. Assim, Jesus vive em nosso consciente associado a Oxalá, sendo que são energias absolutamente distintas. 

O umbandista reconhece Jesus com um ser especial, merecedor do mais profundo respeito e amor. Oxalá é o grande orixá, senhor das águas, responsável pela criação dos homens, por determinação de Zambi ou Olodumare. Jesus foi o emissário de Deus para salvar os homens dos sentimentos rasteiros, como o egoísmo, a ambição desmedida, a violência e tantos outros que igualam os humanos aos seres irracionais.

Ao reverenciar Jesus no terreiro, a Umbanda está em sintonia fina com a espiritualidade, com o culto à ancestralidade e aos bons espíritos que passaram pelo plano terreno e deixaram um legado de fé em Zambi e em todas as forças emanadas do criador supremo. É mais um exemplo que a Umbanda oferece àqueles radicais, fundamentalistas que execram quem não é adepto de seus dogmas e expressões religiosas.

Assim, ao encerrar o ciclo de 2017, os Caminheiros de Santo Antônio de Pádua rogam a Zambi, a Oxalá e a Jesus que esse belo espírito de amizade, fé, solidariedade e amor ao próximo se perpetue ao longo de 2018. Que os homens sejam iluminados e tenham clareza de que o bem-estar do próximo é essencial para a própria alegria. 

Que o egoísmo, as agressões, a falta de solidariedade e as hostilidades sejam trocados por mais compreensão, mais solidariedade, mais respeito aos diferentes, pois nada existe neste mundo que não seja a expressão de uma filigrana da generosidade e da misericórdia de Zambi.

Que a paz, a saúde, a prosperidade e alegrias possam reger a caminhada de todos os umbandistas, médiuns, amigos e frequentadores dos Caminheiros. Que esse mesmo desejo se reproduza na vida de todos os homens, mulheres, crianças e idosos que tornam esse mundo fantástico abrigar toda a diversidade emanada de Zambi. Que uma chuva de bênçãos caia sobre todos os lares. Que a paz reine em todos os quadrantes do mundo.
Feliz Natal!
Feliz 2018!

Comentários

Postagens mais visitadas