Saúde da população de terreiros

Brasília - Terreiros promovendo a saúde; segurança alimentar dentro dos terreiros; terreiros parceiros da prevenção e práticas rituais e impacto na saúde. Esses quatro eixos temáticos são a base do projeto Saúde nos terreiros, em desenvolvimento pela Secretaria Especial da Promoção da Igualdade Racial  (Sepir), do Governo do Distrito.

Em continuidade ao debate ocorrido em maio deste ano, hoje, representantes de várias casa do DF voltaram a se reunir na Seppir para discutir ações que permitam envolver a maioria dos terreiros da capital federal e do Entorno. O intuito é garantir informações que favoreçam ao acesso às políticas públicas de saúde, levando em conta as peculiaridades do povo negro e de terreiro. O encontro, na manhã de hoje, foi coordenado pela diretora de Comunidades Tradicionais, Patrícia Maria de Lira Ahualli, e pelo chefe do Núcleo de Saúde da População Negra, Paulo José Dantas. Além dos integrantes da Sepir, o encontro contou com o professor Nelson Inocêncio, da Universidade de Brasília, do coordenador do Foafro, Luiz Alves, com representantes da Secretaria da Mulher e da Federação de Umbanda e Candomblé de Brasília.

Até o fim do ano, deverão acontecer três encontros, em Planaltina, Ceilândia e Gama. Os representantes dos terreiros com sede em cada uma dessas cidades deverá contatar as casa da região, a fim de que seus dirigentes e adeptos participem das oficinas ou workshop. Os participantes têm até 5 de agosto para repassar a lista dos convidados para os encontros.

Entre as sugestões apresentadas, destacaram-se: parceria com as entidades de classe representativas dos médicos e com a Secretaria de Saúde, a fim de garantir apoio espiritual aos adeptos da aforreligiosidade internados nas unidades hospitalares; criação de um jardim do sagrado distrital; oferta de informações aos terreiros, para que possam orientar as pessoas que lhe pedem ajuda no campo da saúde.

Comentários

Postagens mais visitadas