Mudas alegres de manjericão



Gestos simples podem mudar o mundo. Inspire-se em mais um deles.
Há cerca de um ano, uma produtora cultural e artesã de quarenta e três anos, resolveu dedicar parte de seu tempo para deixar o dia de outras pessoas um pouquinho mais feliz.
E com uma atitude bem simples: ela oferece manjericão para quem passa perto da sua casa, numa das grandes capitais brasileiras.
Tudo começou quando ela decidiu distribuir as folhas para outros moradores do bairro.
Nonô, como é conhecida, reuniu embalagens de suco, caixinhas de leite e outros vasinhos descartáveis e os colocou em uma mureta, na fachada de casa para que quem passasse, levasse as mudas.
Com o intuito de que os passantes soubessem que as plantas estavam ali para serem levadas, a produtora colocou no portão uma placa com a seguinte frase:
Pode levar mudas alegres de manjericão para deixar sua vida cheirosa.
Muita gente olhava a foto na internet e perguntava: “Onde é? Também quero.” Mas eu não divulgo o endereço. O objetivo não era eu transformar a minha casa numa floricultura, mas sim mostrar que, com coisas muito simples, podemos fazer grandes transformações, comenta Nonô.
Depois de publicar a foto nas redes sociais, ela diz ter se surpreendido com a repercussão.
Todos elogiam e dizem coisas como: “O mundo precisa de mais pessoas assim.” Minha resposta é: “Ora, seja uma delas.”
Essa ideia do seja uma delas é um ponto fundamental em nossas reflexões, um ponto de parada.
Um convite a sairmos da inércia de quem apenas observa, de quem apenas nota e elogia, para a posição de quem age, de quem faz.
Não precisamos de mais elogios, não precisamos de mais reconhecimentos de fachada, mas sim de que todos nos juntemos a esses que fazem a diferença no mundo e já não suportam mais o caos instalado.
Seja oferecendo braços abertos a haitianos refugiados, seja trabalhando pela educação de crianças carentes de bairros pobres, onde a criminalidade impera, ou mesmo oferecendo a gentileza de mudas de manjericão, precisamos de mais ação no bem.
Com as mudas vai a alegria de quem as plantou e as oferece. Aí está toda a diferença. Aí está todo valor.
A timidez dos bons tem nos custado muito caro, tem nos tomado muito tempo, tempo em que podíamos estar fazendo tudo diferente e melhor.
O bem não é tímido. É atuante. É impávido e entusiasmado!
Estudemos a vida dos grandes missionários do bem na Terra! Nenhum deles foi estrela apagada!
Agora reflita: Será que você não pode oferecer nem uma muda de manjericão para alegrar a vida de outra pessoa? Nem alguma mínima doação? Algo inesperado, algo que venha de seu coração, algo a mais do que já faz?
Mas me falta tempo! Você dirá.
Será que é tempo que lhe falta mesmo?
Não tenho condições financeiras.   Outro afirmará.
Será que para nos doarmos precisamos de dinheiro?
Doe sua alegria, doe seu conhecimento, doe seu tempo, doe sua habilidade nisso ou naquilo, e faça o dia de alguém um pouco mais feliz.
Se o outro merece ou não, não importa. Você merece o bem que o bem lhe traz, pois se encharca dele em primeiro lugar – lembre sempre disso.
O mundo precisa de mais pessoas assim... Seja uma delas.

Redação do Momento Espírita com base em
reportagem publicada no site

catracalivre.com.br,em 31 de março de 2014

Comentários

Alvaro Pinto disse…
Este é sem duvidas o verdadeiro Cristianismo.
Amar ao Próximo.

Dentro de cada um de nós habita um Espirito que mesmo contra a nossa vontade humana, está avido a fazer o bem sem olhar a quem.
Vdd. E como é difícil encontrar pessoas dispostas a ajudar o próximo, creio que não é porque não tenha o que oferecer, é pela desconfiança... será que aquilo que estou doando realmente vai para aquela pessoa que estão falando??? Complicado no mundo de hoje confiar né!! Mas mesmo assim seguimos firmes em nossa missão de ajudar a quem precisa. A união faz a força. Persistir sempre.

Postagens mais visitadas