ESTUDO: O ritual de Umbanda e a diversidade de cultos

“O ritual de Umbanda e a diversidade de cultos — formação da consciência umbandista e a união das desigualdades — a convivência com outras crenças e o preconceito religioso”. Este será o terceiro tema do Estudo Sistematizado de Umbanda, que a instrutora Carla Costa abordará nesse domingo (18/5), das 16h às 17h, na sede dos Caminheiros de Santo Antônio de Pádua.

O assunto é muito rico. A Umbanda não tem uma liturgia que seja seguida igualmente por todos os terreiros. Em comum, eles têm a prática da caridade (não cobrar pelos trabalhos realizados) e não sacrificar animais. O sacrifício é adotado no Candomblé.

Muitos outros fatores influenciam a prática da Umbanda. Assim, cada terreiros tem características próprias (como as impressões digitais de cada pessoa), que compõem a identidade da casa.
Compreender esses fatores é importante para ter respostas ao preconceito e à discriminação existentes contra as religiões de matriz africana, como a Umbanda. Desde o seu surgimento, a Umbanda é alvo constante de uma visão preconceituosa, assim como os negros. Em alguns momentos, ela é a vítima do racismo, pois é uma das religiões mais afinadas com os afrodescendentes.

Ainda assim, a Umbanda é generosidade e acolhe a todos que a procuram. Não importa religião. As portas dos terreiros estão sempre abertas para ajudar as pessoas, independentemente da raça, cor, credo, condição socioeconômica.

Fique atento
Estudo Sistematizado de Umbanda
3ª aula: O ritual de Umbanda e a diversidade de cultos
Data: domingo, 18 de maio
Horário: das 16h às 17h
Local: Salão principal do Centro Espírita Caminheiros de Santo Antônio de Pádua

Comentários

Postagens mais visitadas