Alguns conceitos da Umbanda tradicional



Por Márcia Fernandes 
www.marciafernandes.com.br

Você sabia que a Umbanda Tradicional nos apresenta alguns conceitos maravilhosos sobre a figura de Deus, dos Orixás, dos Anjos, dos Guias,  Lei do Equilíbrio e muito mais?

É isso mesmo, pessoal! Então, vamos a eles para compreendermos melhor estes conceitos.

1. Existe um Deus único e superior a quem chamamos de Deus (somente),  Zambi ou Olorum.  Ele é a fonte universal criadora, o princípio e o fim.  A partir dele, surgem as demais Divindades subordinadas a ele, (Anjos, Orixás, Guias) que habitam o mundo espiritual, mas por meio da mediunidade dos homens, estabelecem contato com plano físico com a intenção de manter o equilíbrio e a evolução espiritual.


2. Os Orixás são Divindades que estão pouco abaixo do Deus Supremo, estão ligados e representam elementos da natureza, interagem com os seres humanos para a evolução de cada indivíduo e de sua relação com o planeta em que vivemos.  Eles são a representação da natureza e elementos naturais e possuem traços de personalidade, humanidade e orientam Entidades e Guias nos trabalhos.

3. Os Anjos são figuras sagradas (e não Divinas), seres abençoados que vigiam o plano físico e intervém somente por ordem direta de Deus. No Catolicismo, são figuras elevadas para ir do céu a terra facilmente, são puros e assexuados.  Essa maneira de vê-los foi adotada pela Umbanda.  Habitualmente quando necessário, são evocados os Arcanjos e Potestades tais como Miguel, Rafael e outros Anjos Bíblicos.

4. Os Guias são entidades que visam cumprir uma determinada função espiritual, em geral, é comum ouvirmos que um espírito vem a terra somente quando tem luz e evolução qualificadas e comprovadas. Entretanto, entre os guias e entidades há aquele com maior ou menor evolução espiritual.

Ao associar-se a um médium, o espírito recebe a chance para evoluir, ajudando este médium, os outros e respeitando o livre arbítrio de cada uma das partes envolvidas.

5. Há ainda espíritos que, de maneira geral, podem atuar no plano físico, embora desencarnados de maneira positiva, entre outras coisas, ou de maneira negativa obsediando, sugando energias ou causando discórdias e vícios.

6. A Umbanda prega a reencarnação. Os adeptos creem que exista um ciclo natural de nascimento,  vida-morte-renascimento.

Para se alcançar o equilíbrio do corpo físico, são necessárias várias existências (que com o cessar de seu funcionamento se projeta no astral).  Alcançado esse equilíbrio, a espiritualidade evolui.

7. A Lei do Equilíbrio é fundamental dentro da Umbanda. Com o advento da Umbanda, Astrologia ou esotérica e o contato com o Hinduísmo ou Budismo bem depois da gênese da religião, muitos passaram a conhecer os conceitos pertinentes  a essa lei Karma e Dharma (causa e consequência). Para se entender essa lei, precisamos entender a premissa da reencarnação, pois é ela quem rege o equilíbrio de cada pessoa rumo à evolução.  Se plantarmos o mal, colheremos mal, se plantarmos vícios, colheremos vícios.

8. O praticante da Umbanda crê na utilização da mediunidade em todas suas formas, seja incorporação, audiência, vidência, clarividência e uso de oráculos, percepções extrassensoriais, psicografia para interagir com o mundo espiritual buscando evolução e integração.

9. Na Umbanda, a evolução espiritual e a evolução material do homem caminham paralelamente e equilibram-se mutuamente.  O plano físico serve de aprendizado, assim como o espiritual para chegar à plenitude da existência e integrar-se com Deus.

Amor, humildade, caridade e fé são as formas de manifestação de todos esses conceitos.

Linda sabedoria, não é mesmo?

Muita paz e amor no coração de todos!

Comentários

Postagens mais visitadas