Violência e consciência



No domingo, fizemos um apelo no Facebook dos Caminheiros para que todos os amigos e amigas voltassem um minuto dos seus pensamentos em prece por duas pessoas que foram barbaramente mortas na semana passada: um empresário executado com dois tiros à queima roupa, e uma jovem empresária cruelmente morta, após ser estuprada e esfaqueada. O homem morreu por conta de R$ 2,99. A mulher foi queimada viva em seu carro, por causa de R$ 50, valor que seria dado aos bandidos por cada um dos pneus do carro dela. Esse crimes ocorreram em Brasília, e deixaram a sociedade consternada e chocada pela dimensão da crueldade imposta às vítimas. Ambas estavam apenas trabalhando, assim como  a maioria das pessoas que luta diariamente pelo pão de cada dia. Por maior que seja o nosso esforço, é difícil compreender o que move as pessoas a cometerem tais atos, que retiram delas a condição de humanos e as colocam no limbo, pois nem os animais agem dessa forma contra seus semelhantes.
Hoje, chega-nos esse artigo publicado no blog Fim dos Tempos. Pode ser uma coincidência, mas a sensação que tempos é de que vivemos o fim dos tempos, quando a crueldade humana atinge níveis inimagináveis. E o texto, abaixo, pode nos ajudar ampliar a nossa compreensão: 
"QUE A VIOLÊNCIA SE TRANSFORME EM CONSCIÊNCIA
A violência é algo que assusta ,atemoriza e causa terror , mas é interessante que existe também um efeito inverso da violência é que ao mesmo tempo que causa tudo isso a violência também dá Ibope em programas de noticiário, vende jornais e muitos filmes e seriados voltados para o tema , ou seja a violência é também um atrativo para muita gente , e quando digo muita gente, estou falando de uma maioria consideravelmente esmagadora. Na minha opinião, isso acontece porque o homem é violento em seu estado pecaminoso mais crítico, mesmo não praticando a violência física contra alguém, somos violentadores das mais variadas formas, violentamos com palavras e atitudes, violentamos por manipulação muitas vezes e chegamos até a sequestrar e fazer reféns. 
Fazemos isso quando usamos e abusamos das pessoas , quando traímos a confiança, quando somos intolerantes com uns e toleramos outros por conveniência, quando defraudamos e usamos máscaras e principalmente, somos assassinos quando causamos a discórdia através de difamações e maledicências, quando excluímos o próximo do nosso convívio por considerá-lo culpado por algo que nos incomoda, mas não somos capazes de reconhecer o incômodo que causamos também em muitas pessoas, por nosso orgulho exacerbado ou pela prepotência.
Em seu texto sobre a Ceia escrito em sua primeira carta aos Coríntios, Paulo diz que muitas vezes nos assentamos a mesa para comer e beber mas nossos corações estão cheios de intrigas e guerras com nossos irmãos, e mais que isso é causador de morte em nosso meio , mais ainda que é como se causássemos a morte de Cristo de novo , nos tornamos réus da morte de Cristo. Agora, vem a pergunta: Isso é ou não é violentar? Com certeza, é! O que nos falta é uma consciência disso, porque é pelo novo entendimento que somos transformados , é vendo essas coisas como ponto negativo em nossas vidas que nos conscientizamos e nos motivamos para uma mudança de atitude.
Certa vez aprendi e quero reproduzir isso , que não devemos mais orar pra que as pessoas mudem , mas devemos pedir a Deus que nos faça amá-las quer elas mudem ou não, devemos mudar a nós mesmos antes e ao invés de desejarmos matá-las pelos “danos” que nos causam. É sempre confrontador falar disso , é sempre desafiador e é mesmo pra ser assim, porque a trajetória humana e também cristã é repleta de desafios e muitas vezes esses desafios nos contrariarão, mas é Deus quem nos capacita, ele torna possível.
É necessário que a violência seja banida da nossa vida , podemos ser agressivos em alguns casos , corre sangue e não água em nossas veias , somos humanos , a própria bíblia diz que podemos nos irar, mas o que não podemos é usar da ira para praticarmos a violência , para nos vingarmos, essa também é uma realidade de nossas fraquezas , somos vingadores , violentadores pela prática de um “senso de justiça”, que sabemos que nada mais é do que mágoa. Mágoa é uma ferida aberta, precisa ser tratada e não vingada, de Deus é a vingança, ele é o vingador e ele constantemente usará meios da graça para alcançar tanto os “vitimadores” quanto também as vítimas da violência humana.
Que a nossa violência seja contida pela potente mão de Deus e sejamos tratados por Sua Graça e Amor a fim de que não pratiquemos a violência e caso pratiquem contra nós, sejamos capazes de lidar com isso através do Amor de Deus . Que assim seja !!
Vamos refletir....Fé em Deus !!" << PC GARCIA >>
Fonte: http://fimdostemplos.blogspot.com.br/2011/03/que-violencia-se-transforme-em.html

Comentários

Postagens mais visitadas