2 de fevereiro: Dia de festa no mar para saudar Iemanjá

 
“Dia dois de fevereiro
Dia de festa no mar
Eu quero ser o primeiro
Pra salvar Iemanjá...”

Essa foi uma das muitas maneiras do grande compositor baiano Dorival Caymmi homenagear a rainha dos mares. Na voz de Maria Bethânia, a canção ganhou popularidade e, independentemente do credo, a grande mãe Iemanjá foi saudada por todos. 

Odoiá!
Salve Iemanjá!
Salve Nossa Senhora dos Navegantes!
Salve todas as sereias do mar!

Hoje, 2 de fevereiro, em Brasília, no Rio de Janeiro, no Rio Grande do Sul, na Bahia e em São Paulo está programada uma série de homenagens à rainha dos mares, uma das orixás (iabá) mais saudadas entre os adeptos das religiões de matriz africana. 

Janaína, Inaê, Princesa de Aiocá e Maria, numa associação a Nossa Senhora, venerada pelos católicos, são as outras denominações dadas a Iemanjá, a mãe d’água, rainha das ondas, sereia do mar. Ela é a deusa protetora dos náufragos, mãe de todas as cabeças e, por isso, amada pelos pescadores. A Iemanjá é atribuída ainda a virtude de mãe protetora dos filhos a qualquer custo e que adora cuidar de crianças e também dos animais domésticos.

O etnólogo Pierre Fatumbi Verger, no livro Dieu D’Afrique, ensina que Iemanjá é o orixá dos Egbá, uma nação iorubá que, no passado, vivia na região entre Ifé e Ibadan, onde ainda existe um rio que leva o seu nome. Com o avanço das guerras entre os diferentes grupos iorubá, os Egbá migraram na direção oeste para Abeokuta, no início do século 19, e levaram os objetos sagrados, suportes do axé (força vital, energia, princípio da vida, força sagrada dos orixás) e, às margens do rio Ògùn (não confundir com o orixá Ogum) que atravessa a região fizeram a nova morada de Iemanjá.

Ifé é hoje uma cidade de porte médio, cuja população dominante pertence ao grupo étnico iorubá. Lá estão a Obafemi Awolowo University e o Museu de História Natural da Nigéria. Ibadan ou Ibadã — a cidade no ponto de encontro entre a savana e a floresta —, fundada em 1830, é a capital Oyo, terceira maior cidade em população na Nigéria, atrás de Lagos e Kano, e a maior em dimensão geográfica, com cerca de 3,8 milhões de pessoas.
Brasília

Mas de volta ao Brasil, na capital federal,  a Câmara dos Deputados, a partir das 17h, vai parar a fim de saudar Iemanjá. Mais do que um ato religioso — como exige o cenário —, haverá um ato político com o lançamento de um manifesto em defesa dos povos tradicionais de terreiro pela Frente Parlamentar em Defesa dos Povos Tradicionais de Terreiro, liderada pela deputada brasiliense Érica Kokay. Em seguida, será inaugurado o site da Frente. Trata-se uma iniciativa de fundamental importância contra a intolerância religiosa e, ao mesmo tempo, de reconhecimento dos valores dos terreiros de Umbanda e Candomblé que, inegavelmente, permeiam a formação cultural e religiosa do povo brasileiro.

Bem perto do Congresso Nacional, a partir das 14h, a Federação de Umbanda e Candomblé do Distrito Federal e Entorno abrirá as homenagens, na Praça dos Orixás, mais conhecida como Prainha, às margens do Lago Paranoá. A cada hora cheia, os tambores irão rufar em saudação a Iemanjá. Às 20h, haverá uma cerimônia religiosa. 

Rio de Janeiro
 
No Rio de Janeiro, Iemanjá vai ser saudada em diferentes pontos da cidade. Na Praia da Macumba, no Recreio dos Bandeirantes, será inaugurada uma imagem da rainha do mar, presente do babalorixá Sérgio d’Oxum. A cerimônia está prevista paras às 15h. Às 9h, o Afoxé Estrela d’Oyá estará concentrado na Avenida Mém de Sá,37, onde haverá distribuição de frutas e, daí, seguirá para a Praça XV. Às 16h, na Praia de Olaria, em Mauá, pai Alcir de Oxalá entregará seu presente. A Segunda Procissão de Iemanjá, ocorrerá às 17h, com concentração na Estrada Barão de Mauá, nº 6339, Praia de Mauá, em Magé
.
Ainda no Rio de Janeiro, em Sepetiba, haverá o 18º Presente a Iemanjá. A cerimônia está marcada para começar às 9h, com café da manhã; louvação a Exú, no Clube do Recôncavo; às 11h, caminhada; às 12h, xiré na tenda na Praia do Recôncavo; e, às 13h, entrega dos barcos e balaios, encerrando os rituais.

São Paulo

Em São Paulo, ocorrerá a 7ª edição da Festa de Iemanjá da Cidade de Guarujá, a partir das 19h, com apoio da Secretaria de Cultura do município e da Coordenadoria Especial das Políticas para Igualdade Racila (Coeppir), na Avenida Dom Pedro I, nº 350, Enseada de Guarujá.

Bahia
 
Na Bahia, onde ocorre uma das maiores festas do país, 300 embarcações deverão participar da entrega de oferendas a Iemanjá, a partir das 8h, na Praia do Rio Vermelho, Vila dos Pescadores. Em Ilhéu, a as homenagens também começam às 8h, no Barracão Central, na Praça Dom Eduardo. Na cidade de Morro de São Paulo da Bahia, a celebração está prevista para as 13h, na praia, com a presença de baianas, grupos de capoeira e xirê dos orixás. Às 14h, sairá um cortejo que percorrerá a Vila até o Cais para entregar os presentes a Janaína. A festa termina às 16h com a apresentação musical e gastronomia regional na Praça Aureliano Lima.

Rio Grande do Sul

No Rio Grande do Sul, as homenagens a Iemanjá, associada a Nossa Senhora dos Navegantes, começaram nesta quarta-feira, em frente ao Quiosque Ponto 10, na Praia de Imbé, e prosseguem hoje com a procissão de barcos.

Iemanjá
Dia: sexta-feira.
Data: 2 de fevereiro.
Metal: prata e prateados
Cor: prata transparente, azul, verde água e branco.


Fonte: Da Redação do Blog dos Caminheiros com G1 e agências

Comentários

creusa lins disse…
A matéria foi maravilhosa ao demonstrar que continuamos vivos apesar das dificuldades pelas quais passam os seguidores de Iemanjá, para se fazem ouvir pela imprensa. A matéria engrandeceu o nosso Site que se juntou às muitas referências feitas a Iemanjá por alguns canais de TV. Parabéns

Postagens mais visitadas