Corrente em favor de Átila Nunes Neto

Os umbandistas e candomblecistas estão esquecidos dentro do Congresso Nacional. Enquanto médicos, engenheiros, fazendeiros, evangélicos, católicos e vários outros segmentos organizados da sociedade têm muitos representantes no Parlamento, os praticantes das religiões de matriz africana não têm uma voz que se levante em sua defesa.
A intolerância religiosa patrocinada pelos neopentecostais avança violentamente sobre os terreiros de umbanda e candomblé. Ninguém faz nada para garantir o direito de cultuarmos os orixás. Ninguém intervém para dar um basta a essa escalada de agressividade e discriminação contra umbandistas e candomblecistas. E sabem por quê? Porque não somos capazes de escolher candidatos afinados com a nossa fé ou que respeitem a diversidade religiosa existente em nosso país. Quantos de nós não acabamos escondendo a religião que praticamos e votamos até mesmo em um evangélico em troca de um favorzinho pessoal?
Quem ouviu, durante o horário eleitoral há semanas no ar, algum candidato dirigir uma palavra sequer para os umbandistas e candomblecistas? Quem falou sobre a perseguição existente contra nós? Quem mencionou os ataques violentos contra os terreiros de umbanda e candomblé? Quem está preocupado com a falta de terrenos para edificarmos os nossos terreiros? NENHUM candidato fez qualquer referência aos umbandistas e candomblecistas. Em contrapartida, não faltam personagens de Bíblia em punho e com um discurso sectário, que arrebanha votos e amplia a correlação de forças daqueles que se opõem à liberdade religiosa e, principalmente, às religiões de matriz africana.
E vamos ficar assim, de braços cruzados? Vamos nos negar o direito de ir ao terreiro de umbanda ou de candomblé professar a nossa fé? Será que não somos capazes de eleger um candidato que seja capaz de defender nossos interesses dentro do Congresso Nacional.
Se em Brasília faltam candidatos comprometidos, o mesmo não ocorre no Rio de Janeiro. Lá, há um umbandista chamado Átila Nunes Neto, que mantém um programa no rádio e que está disposto a ser a nossa voz dentro do Congresso Nacional. Ao lado do avó, ex-deputado estadual Átila Nunes, o jovem Átila Neto tem dado provas todos os dias deque é um homem de fé e um aliado incondicional de umbandistas e candomblecistas.
E você perguntará: Como posso ajudar a eleger Átila Nunes Neto se não voto no Rio de Janeiro? Uma boa alternativa é pedir a amigos e familiares que vivem na Cidade Maravilhosa que deem um voto para ele. Assim, cada um de nós, umbandistas ou candomblecistas estaremos colaborando para que um irmão e amigo de fé chegue ao Congresso. Dessa forma, teremos alguém que vai se contrapor aos ataques daqueles que querem varrer do mapa todos os terreiros de Umbanda e Candomblé.
Em favor de Átila Nunes começa a se formar uma corrente em vários pontos do país. Irmãos de Santa Catarina e de outros pontos do Brasil estão se comunicando para fazer o mesmo apelo para que ele seja vitorioso nas urnas em 3 de outubro próximo. Então, você também pode dar a sua contribuição. Não deixe de contatar seus amigos e sugerir a eles que votem nesse grande irmão.

Comentários

Postagens mais visitadas