Respeito

Por Saul Brandalise Jr.

Falava durante uma sessão com uma das pessoas que assisti no realinhamento dos chakras, ou como gosta de afirmar o meu Mestre, Reprogramação de Vida, e lhe afirmava que a palavra chave no século 21 não é AMOR.Ela ficou espantada e questionou:- Como assim... O Amor é tudo.- Sim, respondi, é tudo, mas, amor sem respeito vira desejo... A felicidade sem respeito vira ato efêmero. A amizade sem respeito vira posse, e assim por diante.
A prática do respeito é o combustível que os países, independente de suas razões cósmicas para existirem, precisam e devem utilizar.Foi ali, falando desta forma, que me dei conta de que realmente a vida é pautada pelo respeito. Lamentavelmente a palavra e o ato em si estão profundamente desgastados.
O primeiro respeito, inegavelmente, é aquele que precisamos exercitar conosco mesmos. Respeitarmos-nos significa primeiramente sabermos definir adequadamente a aplicação do nosso SIM e do nosso NÃO. Ninguém consegue entender a exatidão da palavra respeito se não o exerce consigo mesmo. Isso sim é amor próprio: respeitar as nossas vontades e verdades. Ser autentico é um ato difícil e de extrema dificuldade, pois as pessoas em nossa volta exigem que sigamos padrões, os quais, muitas vezes, nada agregam aos nossos valores.
O segundo exercício de respeito, sem colocar numa escala de quem é primeiro ou segundo, é aquele que temos com a Natureza e as forças que a compõem. Respeitar a morada de nossa atual vida -e as futuras-, fará toda a diferença quando aqui retornamos. Salvo se você for pisciano, caso contrário, irá voltar sim. É melhor acreditar nisso do que se arrepender depois. Teremos que cumprir todo o Zodíaco. Em cada signo aprendemos alguma coisa.
A terceira consciência de respeito que temos que ter é com os nossos pais, afinal, foi através deles que conseguimos retornar ao planeta. Tratá-los por senhor e senhora não nos torna vassalos e muito menos nos diminui. É por eles que temos contato com nossos primeiros valores éticos e morais. A educação vem do berço. O conhecimento vem da escola. São eles, portanto, os nossos primeiros professores. Não é correto transferir educação para o banco escolar. E, a propósito, temos sim que tratar nossos(as) professores(as) por senhor e senhora. No meu tempo, quando eles entravam na sala de aula ficávamos em pé em sinal de respeito e disciplina. Jamais de submissão.
A quarta demonstração de respeito é para as verdades de cada um. Ninguém é obrigado a ver o mundo conforme nós vemos e sentimos. Cada um está em um estágio diferenciado de evolução. Portanto, ninguém está certo e ninguém está errado. É só uma questão de evolução. Temos que entender esta verdade para podermos aceitar as diferenças.
A quinta grande aplicação do respeito é para com o Livre-Arbítrio. Cada um pode e deve exercitar o comando de sua intuição. É desta forma que se consegue evoluir e aprender o que precisamos aprender. Não seguir a intuição é desprezar ganhos e prêmios por méritos comportamentais.
A sexta grande verdade do respeito é que este planeta sempre será um palco de desigualdades. Nelas estão escondidas todas as verdades do processo evolutivo. É uma atitude desequilibrada acharmos que um dia TODOS viverão num mesmo nível, enquanto seres humanos. É uma atitude de ignorância não sabermos entender e aceitar as diferenças existentes em cada país com relação ao nosso. Eles, os países, também são palcos de evolução. Neles é que se encontram os karmas coletivos e também as colheitas das profundas desigualdades que os karmas exigem que possamos resgatar.
A sétima grande verdade é sobre respeitar as escolhas de cada indivíduo. Isso demonstra amadurecimento e principalmente sabedoria. Cada religião é um caminho, ou um estágio. Cabe ao ser humano viver e ter como experiência a religião que achar por bem seguir. Cabe também ao humano decidir se quer ou não uma religião para si e para a sua evolução. Eu não tenho. Aplico a filosofia Budista em minha vida. Diferente da religião Budista, pois existem muitas delas. Sei que não preciso de religião.Repito: ninguém está errado ou certo. É tudo uma questão de momento evolutivo e de experiência de vida. Mas, confesso, como terei mais cinco encarnações, às vezes penso como será o mundo em minha última, daqui a 500 anos, se nada fizermos para impedir as agressões?Sim, é o momento para refletirmos que é importante cuidarmos do planeta e, como diz Gandhi: Você deve ser o exemplo da mudança que deseja ver no mundo.
Sei que nos veremosBeijo na alma

Saul Brandalise Jr. é autor do livro: O Despertar da Consciência da editora Theus, onde mostra através das narrativas de suas experiências como extrair lições de vida e entusiasmo de cada obstáculo que se encontra ao longo de uma vida.

Comentários

Postagens mais visitadas