Líderes religiosos cobram leis mais duras contra o preconceito

Católicos, evangélicos, muçulmanos, judeus, representantes de religiões de matrizes africanas, advogados e professores, participaram nesta sexta-feira (3) de uma reunião para discutir o Plano Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. No encontro, realizado no Windsor Flórida Hotel, no Flamengo, zona sul do Rio, líderes religiosos sugeriram a criação de projetos de lei mais rígidos para inibir o preconceito contra qualquer tipo de religião.
Atualmente, quem comete ato considerado preconceituoso contra uma religião é enquadrado na Lei nº 77.16 de1989, que tipifica racismo e crime religioso. O plano também foi discutido por líderes religiosos em outros estados brasileiros.
Ivanir dos Santos, interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, afirmou que o objetivo do encontro é promover a democracia e a liberdade.
“O Estado brasileiro é laico e isso é garantido pela Constituição Federal. Por isso, deve haver, por parte do Estado e da sociedade, o respeito a todas as religiões e não a predominância de uma sobre as outras. O Estado democrático tem que garantir esse equilíbrio na sociedade”, defendeu.
Santos criticou o uso político da religião por determinados grupos. O documento que resultou dos debates de hoje será encaminhado ao Congresso Nacional. A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa espera que o plano seja lançado ainda este ano pela Presidência da República. [Fonte: Agência Estado]

Comentários

Postagens mais visitadas