Agasalho e alimento para quem sente frio

Diante do pronto-socorro do Hospital Regional Ceilândia, Caminhantes Solidários distribuem canjica e sopa para as pessoas

HÁ QUASE UM MÊS, Wellington está no Hospital Regional de Ceilândia. Ele acompanha o irmão que caiu de uma edificação, fraturou as duas pernas e precisa de uma cirurgia que nunca chega. Muitas outras pessoas estavam no pronto-socorro do HRC em situação semelhante ou à espera de atendimento. Uma dívida com a fornecedora de alimentos — grande parte herdada do governo anterior — levou à suspensão da entrega de refeição aos acompanhantes.

Diante da unidade de emergência, um quiosque para quem tem dinheiro e pode comprar um lanche. Todos os estabelecimentos estavam fechados. Pouco depois das 19h, os Caminhantes da Solidariedade chegaram com grande caldeirão de canjica e uma boa panela de caldo de batata com frango desfiado, além de copos e colheres descartáveis e um pacote de guardanapos para ofertar os que estavam na porta do hospital. Essa é mais uma das atividades da Ação Social Caminheiros de Antônio de Pádua. A instituição gostaria que ela fosse regular — quem sabe, todos os dias —, mas a falta de recursos não permite. Assim, os Caminhantes vão às ruas de Ceilândia, pelo menos uma vez por mês, compartilhar alimentos com moradores em situação de rua, os que estão na porta do hospital ou na rodoviária local.

Em fração de segundos, as pessoas se aproximaram e formaram uma fila. Começava aí uma chuva de “Deus abençoe vocês” e “Muito obrigado”, a cada porção recebida. Wellington foi um dos primeiros a degustar a canjica. Ele mora no acampamento Sete de Setembro, criado pelo Movimento dos Sem-Terra próximo a Brazlândia. Ele não é agricultor. Trabalha como eletricista. Quando sobra tempo, ajuda a família na lavoura. “Aqui não servem mais comida para quem acompanha um doente”, diz ele, revelando cansaço ante a demora da cirurgia do irmão, sempre prometida para o dia seguinte que nunca chega.

Quando a fila havia diminuído, os caminhantes trouxeram bolsas com agasalhos, roupas de cama e outras peças masculinas, femininas e infantis. Outro momento de aglomeração. Alguns eram, visivelmente, moradores em situação de rua e disputaram, sem conflito, cobertores, lençóis, casacos e outras roupas. Uma senhora, que nem quis dar o nome, visou às roupas infantis. Ela transformou a fronha do lençol em bolsa e disse que não poderia levar mais nada, pois iria de ônibus para casa.

Se tivesse mais refeições, mais pessoas poderiam ser atendidas. Uma cena chamou a atenção. Um senhor conseguiu o último copo de canjica. Atrás dele, uma jovem foi informada que não havia mais nada. Ele prontamente pediu mais um copo e dividiu que havia ganhado. Um gesto de solidariedade pouco comum para quem nada tem. Os caminhantes ficaram felizes, mas lamentaram não ter mais o que oferecer a tantas pessoas.

CAMPANHA DO AGASALHO

Iniciada há pouco mais de um mês, a campanha do agasalho tem recebido colaborações de vários amigos e amigas solidárias. Mantas, cobertores, agasalhos para adultos e crianças têm chegado à Ascap. Nessa terça-feira, o grupo Mulheres de Brasília doou 30 mantas para a instituição.

A distribuição das doações está prevista para amanhã (22/6) entre as famílias do Sol Nascente, que moram em situação precária. A maioria das casas não tem reboco, o que torna o ambiente mais frio pela falta de isolamento térmico. Em todas as moradias, sempre há várias crianças que precisam se agasalhar bem neste período do ano, quando a temperatura fica muita baixa em quase todo o Distrito Federal.

As pessoas que querem doar agasalhos e cobertas ainda poderão fazê-lo. Os donativos podem ser entregues na Ascap, que, atualmente, funciona todas as terças e quintas-feiras, das 15h às 18h, ou aos sábados, o dia inteiro, a partir das 9h. Há ainda opção de deixar os donativos na sede do Centro Espírita Caminheiros de Santo Antônio de Pádua, a partir das 19h, nas segundas, quartas e quintas-feiras, e aos domingos, às 15h.

Endereço da Ascap: EQNO 1/3, Lote A, Área Especial, Setor “O”, Ceilândia
Contato: ascap.cecsap@gmail.com — Buscamos doações em qualquer área do DF.
Site: https://ascapbsb.org

Comentários

Postagens mais visitadas