Marcha contra a intolerância religiosa em Águas Lindas

Advogado evangélico faz ameaça de morte a iniciantes
do candomblé. Para polícia do município, foi apenas “injúria”
  
No Distrito Federal e no Entorno, a intolerância religiosa está em expansão. Em 25 de janeiro, três iniciados (iaôs) da casa da ialorixá Mãe Vilcilene, em Águas Lindas (GO), foram colher ervas para os rituais a cerca de 800m do terreiro. No caminho, os jovens foram abordados por um advogado evangélico. Armado, o homem apontou o revólver para o rosto de um dos rapazes e ameaçou matar a todos “adoradores do diabo”. Exigiu que grupo deixasse as folhas no chão, pois queria verificar se não foram colhidas na sua propriedade e repetiu, por diversas vezes, que os mataria.

Os rapazes foram à delegacia do município denunciar as ameaças de morte e os xingamentos, que evidenciaram a atitude homofóbica do evangélico. Lá, encontraram o advogado. Diante da autoridade policial, ele repetiu todas agressões. No entanto, o escrivão registrou apenas ocorrência de injúria e desqualificou as ameaças de morte e a intolerância religiosa.

Diante da inépcia do escrivão de Águas Claras, representantes da Federação de Umbanda e Candomblé do DF e do Entorno, do Foafro, adeptos e praticantes da afrorreligiosidade vão promover, na próxima sexta-feira (6/2), a 1ª Marcha Contra a Intolerância Religiosa em Águas Lindas de Goiás.

Concentração
Sexta-feira, às 13h, na segunda passarela ao lado da BR-70. Em seguida, os integrantes da marcha vão para o pátio da Prefeitura e Fórum de Águas Lindas.


Comentários

Postagens mais visitadas