Marcha contra corrupção em Valparaíso

 Cresce, em todo o país, o movimento contra a corrupção. Em 7 de setembro último, mais de 20 mil pessoas foram às ruas no Distrito Federal na marcha contra os desvios dos recursos públicos. Em outras capitais, milhares de pessoas também deixaram suas casas para fazer protesto semelhante. Essa onda, a cada dia vem arrastando mais cidadãos e cidadãs inconformados com os desmandos constatados na administração pública nos diferentes âmbitos de poder.

Brasília tem sido cenários de episódios deprimentes. No momento, o governador do DF, Agnelo Queiroz, está no centro das atenções do Judiciário. A sua gestão à frente do Ministério dos Esportes está sendo investigada pelo Superior Tribunal de Justiça. Ele é suspeito de ter desviado milhões de reais do programa Segundo Tempo, criado para a inclusão social de crianças e jovens carentes.

Os desvios de dinheiro dos cofres públicos têm forte impacto na vida de cada uma das pessoas da sociedade. É a verba que falta para os hospitais, para as escolas, para a segurança pública e para vários outros setores que têm relação com a qualidade de vida de todos.

Combater a corrupção e denunciar os desmandos não são obrigações apenas das autoridades. São iniciativas que devem partir de cada cidadão ou cidadã, quando flagram alguma irregularidade. Esse combate não pode ser uma luta de uma ou outra pessoa. Deve ser uma ação coletiva, em defesa dos interesses de todos.

Ligada nessa luta, a comunidade de Valparaíso de Goiás, município vizinho do DF, ocupará, a partir das 9h desta quarta-feira (Dia de Finados), a Praça Central  da Etapa A da cidade para mais um ato contra a corrupção. Entre os muitos problemas que o município enfrenta, o maior deles é o da violência. Atualmente, a cidade figura entre as cinco mais violentas da Região do Entorno, ao lado de Águas Lindas, Luziânia (campeão em homicídios), Novo Gama e Cidade Ocidental.

Comentários

Postagens mais visitadas