Deputada vai à tribuna defender a Umbanda

 A demolição do Berço da Umbanda, no último dia 5, será colocado em discussão no Congresso Nacional pela deputada Érika Kokay (foto). A comunicação deste blog com o gabinete da parlamentar motivou uma série de providências. Na última sexta-feira, pela manhã, a assessoria da deputada fez contato com o blog para informar que uma série de medidas, no âmbito do seu alcance, seria adotada no sentido de reverter o desaparecimento do espaço em que a Umbanda surgiu, em 15 de novembro de 1908. Está previsto para terça-feira (11/10) um pronunciamento da parlamentar no plenário da Câmara dos Deputados. A deputada reconhece que se trata de um marco histórico e religioso que deve ser preservado, levando em conta os milhares de adeptos dessa religião, entendida como genuinamente brasileira.

A Umbanda congrega elementos místicos da religiosidade africana, indígena, católica e de outros credos. Como o povo brasileiro, ela é síntese da miscegenação, uma das maiores características da sociedade nacional. Perder esse marco de referência seria a negação de parte importante da nossa história e da nossa cultura, sem contar os apectos da nossa religiosidade. Se houver empenho das autoridades federais e estaduais é possível reverter o trágico desfecho, sem perda para o atual proprietário do terreno. Basta que as autoridades, livres de preconceito, se empenhem firmemente em busca de uma solução.

Comentários

Postagens mais visitadas