quinta-feira, 3 de março de 2011

Ceilândia em terceiro lugar no ranking da dengue no DF

A combinação calor e chuvas, própria do verão, é propícia à proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, que pode matar. Nesta quarta-feira (2), a Secretaria de Saúde do DF emitiu um alerta devido ao avanço da doença na capital da República. Nos dois primeiros meses deste ano, foram  873 notificações, das quais 159 se confirmaram. Deste total de infectados, 57 contraíram a doença no DF e 102 em outras localidades do país. Apenas dois pacientes apresentaram a dengue com complicações.
Samambaia, com 15 pacientes, está no topo do ranking das cidades do DF. Em seguida, vem Planaltina com 13; Ceilândia, 11, Guará; 10 e São Sebastião com 9.
Conter o avanço da dengue não é umaluta apenas das autoridades, mas uma reponsabilidade de todos. Então, preste atenção e siga as orientaçôes abaixo:
─ Evitar água parada.
─ Sempre que possível, esvaziar e escovar as paredes internas de recipientes que acumulam água.
─ Manter totalmente fechadas cisternas, caixas d'água e reservatórios provisórios tais como tambores e barris.
─ Furar pneus e guardá-los em locais protegidos das chuvas.
─ Guardar latas e garrafas emborcadas para não reter água.
─ Limpar periodicamente, calhas de telhados, marquises e rebaixos de banheiros e cozinhas, não permitindo o acúmulo de água.
─ Jogar quinzenalmente desinfetante nos ralos externos das edificações e nos internos pouco utilizados.
─ Drenar terrenos onde ocorra formação de poças.
─ Não acumular latas, pneus e garrafas.
─ Encher com areia ou pó de pedra poços desativados ou depressões de terreno.
─ Manter fossas sépticas em perfeito estado de conservação e funcionamento.
─ Colocar peixes barrigudinhos em charcos, lagoa ou água que não possa ser drenada.
─ Não despejar lixo em valas, valetas, margens de córregos e riachos, mantendo-os desobstruídos.
─ Manter permanentemente secos, subsolos e garagens.
─ Não cultivar plantas aquáticas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário